São, Salvo.

Mês: novembro, 2016

Imagem

Tua mão repousa

minha calma

 

um ninho de pássaros.

 

O faz sem saber,

em frente

 

como se nada pudesse cair.

 

eu sim penso que a reta do horizonte é falsa

 

você pequena primeiro

 

tua sombra hoje

vem caminhando de sempre.

 

 

Anúncios

Tramas

 

Viadutos de concreto armado

escolhem o caminho dos carros

 

Desejos monumentais

ditos altos

um sobre os outros

e nós.

 

(As árvores competem por sol

ombro a ombro na mata cerrada)

 

Nada vai terminar.

 

Começaria pela rua simples.

 

Um avanço em desfazer esse laço.

 

Marginais

 

Na beira da pista vejo que arde o fogo

em volta do fogo, a cidade.

 

Os homens que ardem de frio

jogam o fim nas chamas

consomem a noite de cada vez.

 

Meus pés soluçam no freio,

sumo cada vez mais longe.

 

As caras que não vi

reluzir nas chamas

carregam meu olho à deriva

 

até que me esqueço nas faixas

nos faróis.